7 de mar de 2009

videodançar [1°encontro]

Primeiro apresentei às meninas a minha proposta de oficina de videodança, em seguida, cada uma delas se apresentou para as demais, até então não havia nenhum menino. Quando terminaram, umas ajudando às outras, pois se apresentar causava timidez, me pergutaram sobre mim e me apresentei. Elas não estranharam a proposta em momento algum e acharam muito legal estudar videoclipe, video-registro e, finalmente, videodança.

Começamos a fazer um alongamento em roda, partindo de cada articulação. Elas sentiram muita dificuldade em tocar o chão com as mãos, começaram a se chacoalhar e logo eu intervim dizendo que isso poderia causar lesões e expliquei o sentido de se alongar e isso despertou curiosidade.

Quando iniciamos um trabalho no chão com música elas se entusiasmaram muito e se mostram interessadas pelas novas informações corporais para a maioria delas. Uma das meninas [Lorena] pediu para ser a primeira a registrar a aula.

O segundo momento do encontro foi a apreciação de alguns vídeos, um de cada exemplo do que estudaremos. Depois que terminamos de assistir elas quiseram ver meus vídeos, mostrei 2, "cadêmeucarnaval?" e "pro srg com carinho".
  1. Single Ladies, Beyoncé. [assistir]
  2. Kuduru, Fantasmão. [assistir]
  3. 21, Grupo Corpo. [assistir]
  4. Le Petit Bal Perdu. [assistir]
Neste segundo momento, felizmente, chegou um novo aluno, resistiu a novidade de uma aula que não fosse de dança afro,
mas me deu a oportunidade de apresentar a proposta e se interessou, assistiu aos vídeos compenetrado.

Ao fim, conversamos um pouco enquanto víamos as fotos do encontro e dei a tarefa de trazerem
cds dos artistas que cada um disse gostar no momento da apresentação.

Saí do encontro bastante motivada por perceber a possibilidade de compartilhar um experimento
e uma paixão, num ambiente tão propício para tal, já que todos os demais funcionários do Espaço 
Cultural da Fundação Pierre Verger também foram muito atenciosos comigo, criando assim
ótimas condições de se desenvolver bem um trabalho.

Ana Pi.